Três Dolce Vita colocados à venda por 15 milhões de euros

Em todos os casos, caso não hajam ofertas superiores ao valor mínimo, serão admitidas propostas mais baixas.

Na sequência de um pedido de insolvência requerido pelo banco Abanca levou a que os centros comerciais Dolce Vita de Ovar, Miraflores e Central Park (Linda-a-Velha fossem colocados à venda por 15 milhões de euros, noticia o “Jornal de Negócios” esta quarta-feira, 7 de agosto. O banco espanhol é o principal credor das empresas detentoras desses centros comerciais, que acumulam uma dívida de 50 milhões de euros

Sobre o Dolce Vita de Ovar, detido pela Sportsforum, que também é o administrador judicial da insolvência deste centro comercial, o Abanca reclama créditos de 21,8 milhões de euros. Quando pediu a insolvência da Sportsforum, o banco espanhol avaliou o ativo em menos de 15 milhões, mas este Dolce Vita foi colocado no mercado por 8,3 milhões.

O Dolce Vita de Ovar resultou de um investimento de 33 milhões de euros, tendo sido inaugurado a 21 de abril de 2007.

No caso do Dolce Vita de Miraflores, inaugurado em 2002 e o primeiro da rede Dolce Vita em Portugal, o Abanca reclama uma dívida de 22,7 milhões de euros. A avaliação fez a avaliação há mais de um ano em dez milhões de euros, mas o centro comercial de Miraflores foi colocado à venda por um valor inferior a 5,38 milhões de euros.

Recomendadas

Savills fica responsável pela gestão do edifício Atlas III

Atlas III, em Miraflores, é o mais recente empreendimento sob a gestão da Savills.

Dona da Comporta estuda “projeto estratégico” a preços acessíveis no Parque das Nações

A Vanguard Properties quer construir três prédios no total, com o valor do investimento a rondar os 30 a 35 milhões de euros.

Comércio tradicional renasce com ‘boom’ do turismo

A “especulação imobiliária” e a subida das rendas levaram ao fecho de muitas lojas, mas há uma nova geração a investir em Lisboa. Em 2018já abriram mais lojas do que fecharam, diz a líder da associação do setor.
Comentários