Um campus de inovação e criatividade junto a uma pista de aviação? O Aeroporto de Munique acha que sim

Os responsáveis pela gestão da infraestrutura querem incluí-la no cluster das indústrias de alta tecnologia. Afinal, um aeroporto internacional é um sítio por onde passam milhares de pessoas por dia.

O Aeroporto de Munique está prestes a lançar-se num projeto único e focado no futuro: sob o nome de LabCampus, a infraestrutura quer desenvolver um centro interdisciplinar de ideias e de inovações no perímetro do aeroporto. O projeto, considerado visionário pelos seus responsáveis, pretende promover a cooperação entre empresas e indústrias, reunindo especialistas, e mentes criativas e investidoras no coração de um centro de transportes com ligações a mais de 260 destinos em todo o mundo.

“Há 150 mil pessoas no aeroporto de Munique todos os dias: passageiros, funcionários e visitantes que são potenciais clientes, parceiros de negócios e visitantes para o LabCampus. Em nenhum outro lugar é possível encontrar melhor conectividade com clientes e parceiros”, disse Thomas Weyer, CFO e diretor de infraestrutura do aeroporto de Munique, citado por um comunicado da empresa.

O governo federal da Baviera, onde se localiza Munique, está a dar todo o apoio. Markus Söder, presidente do Conselho de Supervisão do Munique, comentou que, “com o LabCampus, na Baviera, que já está entre os líderes nos rankings mais respeitados de lugares para fazer negócios – tornar-nos-emos ainda mais atraentes. Para nós, este projeto irá idealmente complementar a nossa política de clustering para indústrias de alta tecnologia e outros setores-chave. Ele irá mostrar uma Baviera bem-sucedida e próspera do futuro”.

Como um modelo para a cidade do futuro, o novo campus oferecerá um ponto de encontro único para indústrias de alta tecnologia e setores-chave que trabalhem em áreas como a aeroespacial, digitalização, energia e mobilidade.

Os principais parceiros potenciais incluem empresas como a Siemens, gabinetes de design, bem como organizações ligadas à investigação, incluindo o Fraunhofer Institute, Friedrich Alexander Universität Erlangen-Nürnberg e UnternehmerTUM, incubadora de start-up da Universidade Técnica de Munique, refere o comunicado.

Mas o aeroporto de Munique está a fornecer mais do que apenas o sítio para uma nova plataforma de inovação: também desempenhará o papel de ‘curador’, como o gestor do campus. Aa FMG, a empresa operacional do aeroporto, assegurará a combinação adequada de indústrias e empresas, reunirá os parceiros certos e desenvolverá a infraestrutura e os serviços públicos do campus. A FMG estabelecerá uma subsidiária separada para a gestão do projeto.

“Na era da globalização e da digitalização, os aeroportos devem lançar novas pistas para encontrar e manter vantagens competitivas. Neste sentido, o LabCampus é um passo que antecipa o futuro”, disse o Dr. Michael Kerkloh, CEO e presidente do Aeroporto de Munique.

O desenvolvimento do local, situado no noroeste do aeroporto, terá várias etapas: começará com a construção de prédios de escritórios e da Academia do Aeroporto da FMG. Um centro de segurança de informação e um centro dedicado à luta contra a cibercriminalidade lá serão também instalados. O aeroporto financiará o projeto – como é o caso de todos os seus atuais projetos de expansão – com recursos próprios.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários