Um milhão de euros para requalificar o Forte de S. Miguel na Nazaré

O forte tornou-se famoso no mundo inteiro através da onda surfada por Garrett McNamara em Novembro de 2011, que bateu o recorde com quase 24 metros de altura, na Praia do Norte na Nazaré e agora a autarquia vai investir um milhão de euros na sua requalificação.

Depois disso, o Forte de S. Miguel tornou-se a estrela das objetivas dos fotógrafos que procuram a melhor foto de todos os surfistas que se aventuram em conquistar a melhor e mais alta onda da Nazaré.

Impávido e sereno mesmo em dias de tempestade, o Forte de S. Miguel vai observando os feitos dos surfistas mundiais e em breve irá ficar mais bonito. O Estado aprovou o auto de cedência do Forte de S. Miguel à autarquia, comprometendo-se a investir um milhão de euros no monumento que deverá estar requalificado dentro de dois anos, revelou o presidente da Câmara Municipal da Nazaré.

O “Auto de cedência e aceitação do Forte de S. Miguel Arcanjo” a celebrar entre o Estado Português e o município da Nazaré estipula a entrega do monumento à Câmara por um período de 25 anos, mediante o compromisso de a autarquia avançar com a requalificação orçada em um milhão de euros.

O documento, aprovado na última terça-feira pelo executivo, estima a recuperação do monumento classificado de interesse público em meio milhão de euros, mas a intervenção irá também incluir “os acessos ao farol e à praia do Norte, e em infraestruturas de água e saneamento que aumentarão o investimento em mais meio milhão de euros” disse à agência Lusa o presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro.

O acordo entre a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, Direcção-Geral de Recursos da Defesa Nacional e o município estipula ainda o pagamento de uma renda mensal de 2.520 euros ao Estado.

No entanto, “o farol é autossustentável”, afirmou à Lusa o autarca, lembrando que “em dois anos e poucos meses que abriu ao público o Forte recebeu 300 mil visitantes pagantes”, sendo que 10% do valor das entradas (um euro) “revertem para um fundo para a requalificação do imóvel”.

O autarca admite ainda candidatar o investimento de um milhão de euros a fundos comunitários e adiantou a intenção de “depois de concluída a requalificação negociar uma revisão do auto por forma a isentar a Câmara do pagamento de renda”.

De recordar que o Forte de S. Miguel Arcanjo foi começado a construir no reinado de D. Sebastião, em 1577, com vista à defesa da enseada dos ataques dos piratas argelinos, marroquinos, holandeses e normandos que investiam sobre o litoral atlântico. Em 1644, devido ao seu posicionamento, o rei D. João IV ordenou a sua remodelação e ampliação.

Durante as Invasões Francesas, ali se refugiaram os soldados inimigos que combateram contra a população do Sítio e da Pederneira e fez ainda parte da história das Lutas Liberais entre os partidários de D. Pedro IV e de D. Miguel.

Em 1903, foram efetuadas obras de consolidação e restauro para a instalação do farol no Forte.

Ler mais
Recomendadas

Três Dolce Vita colocados à venda por 15 milhões de euros

Em todos os casos, caso não hajam ofertas superiores ao valor mínimo, serão admitidas propostas mais baixas.

Savills fica responsável pela gestão do edifício Atlas III

Atlas III, em Miraflores, é o mais recente empreendimento sob a gestão da Savills.

Dona da Comporta estuda “projeto estratégico” a preços acessíveis no Parque das Nações

A Vanguard Properties quer construir três prédios no total, com o valor do investimento a rondar os 30 a 35 milhões de euros.
Comentários