Uma Babel da investigação na UMinho

O centro que lidera o projeto RItrain em Portugal é um pólo de emprego altamente qualificado, com mais de três centenas de investigadores.

O Centro de Engenharia Biológica é uma Babel dos tempos modernos no coração da Universidade do Minho. Babel no sentido da diversidade que exibe, da complexidade que trabalha, da multiplicidade de projetos e da variedade de nacionalidades: 40 ao todo.

Integrado na Escola de Engenharia da Universidade do Minho, em Braga, o Centro é a unidade de investigação da universidade com maior financiamento por parte de entidades públicas. Para o período 2015-2017 obteve três milhões de euros. No entanto, neste momento, tem a decorrer projetos de investigação que vão muito além disso: 14 milhões de euros, no total, entre financiamento nacional, europeu e parcerias com a indústria.

No âmbito da sua integração na rede mundial de investigação (faz parte de programas como o MIT Portugal) e da sua participação em projetos internacionais, surge agora o RItrain. O projeto visa capacitar cientistas com competências de gestão, uma iniciativa inovadora cujo objetivo é cobrir o défice de competências na União Europeia nesta área. Como unidade que participa na infraestrutura europeia MIRRI, o Centro de Engenharia Biológica tem a coordenação portuguesa deste projeto.

Nascido nos anos 90 do século XX, o Centro iniciou a sua atividade regular em 1994. Desde então tem como principal objetivo a integração entre a Engenharia e as Ciências da Vida, de forma a potenciar o desenvolvimento de bioprocessos industriais inovadores.

Opera nas áreas da Biotecnologia e da Bioengenharia, combinando na sua ação ciências fundamentais – como a Química, Bioquímica, Microbiologia e Biologia Molecular – com Ciências da Engenharia, de forma a criar valor acrescentado nas indústrias Química, Alimentar, Biotecnológica, Saúde e do Ambiente.

A nível científico há a registar resultados significativos, designadamente a sua presença no rol das unidades de Investigação & Desenvolvimento com maior número de citações por artigo na área de Engenharia Química e Bioquímica. Além disso, regista diversos artigos entre os de “maior interesse” e “mais lidos”. Os seus investigadores são regularmente convidados a participar em conselhos editoriais de revistas científicas, comissões técnicas, sociedades científicas e profissionais, e comissões científicas de conferências internacionais, bem como chamados para atuar como avaliadores de um elevado número de artigos científicos.

Ao nível do emprego científico que assegura, os números são igualmente expressivos: 325 investigadores, dos quais mais de 130 com doutoramento, e 106 em processo de obtenção desse nível de formação superior fazem aqui investigação. Até ao momento, tiveram origem neste centro localizado na cidade de Braga 15 novas empresas inovadoras, havendo igualmente a registar 20 patentes concedidas.

Ler mais
Recomendadas

Governo abre 85 vagas para estágios profissionais destinadas a jovens até 29 anos

Estas vagas destinam-se aos chamados jovens “nem-nem” (nem estudam, nem trabalham). As candidaturas estão abertas até às 18h00 do dia 30 de setembro.

Oito portugueses entre os vencedores do maior programa universitário de inovação digital da Europa

O European Innovation Academy é o maior programa universitário de aceleração em Inovação Digital da Europa. A terceira edição realizou-se entre os dias 14 de julho e 2 de agosto. Há oito portugueses entre os vencedores, com projetos que vão desde apoio a invisuais e a crianças com doenças crónicas até bicicletas com airbaigs.

Martin Kern: “Uma economia não se mede apenas pelo número de unicórnios”

Em entrevista ao Jornal Económico, o diretor do Instituto Europeu da Inovação e da Tecnologia refere que o aumento orçamental proposto pela Comissão Europeia para os próximos anos pode beneficiar as startups e as atividades de investigação em Portugal.
Comentários