União Europeia promete contra-atacar decisão dos Estados Unidos sobre tarifas de aço e alumínio

“Os Estados Unidos não nos deixam agora outra escolha que não seja a de recorrer à resolução de litígios da Organização Mundial do Comércio e à imposição de tarifas adicionais sobre diversas importações dos EUA”, disse Jean-Claude Juncker.

Christian Hartmann/Reuters

A União Europeia anunciou hoje que vai denunciar perante a Organização Mundial do Comércio (OMC) a decisão norte-americana de suspender a isenção dos direitos de importação de aço e alumínio e garantiu que irá responder de forma “proporcional”.

“Os Estados Unidos não nos deixam agora outra escolha que não seja a de recorrer à resolução de litígios da OMC e à imposição de tarifas adicionais sobre diversas importações dos EUA. Vamos defender os interesses da União em total cumprimento da lei comercial internacional”, declarou o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker.

Num comunicado divulgado em Bruxelas pela Comissão Europeia imediatamente após o anúncio de Washington, Juncker reafirma que, para a UE, “estas tarifas unilaterais dos EUA são injustificadas e em discordância com as regras da OMC”.

“Isto é protecionismo puro e simples”, declarou o presidente do executivo comunitário.

Também a comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmström, lamentou a decisão de hoje de Washington, afirmando que “hoje é um dia mau para o comércio mundial”.

“Fizemos tudo para evitar este desfecho. Agora que temos clareza, a resposta da UE será proporcional e de acordo com as regras da OMC. Vamos agora desencadear um caso de resolução de litígios na OMC, já que estas medidas dos EUA vão claramente contra as regras internacionais acordadas. Também iremos impor medidas de reequilíbrio e tomar os passos necessários para proteger o mercado da UE do desvio comercial provocado por estas restrições norte-americanas”, declarou a comissária.

Lembrando que ao longo dos últimos meses falou “em inúmeras ocasiões com o secretário do Comércio norte-americano”, Wilbur Ross, a comissária Malmström lamentou ainda a atitude dos Estados Unidos ao longo das conversações, ao “usar a ameaça de restrições como forma de obter concessões da UE”.

“Não é desta forma que fazemos negócios, e muito menos entre parceiros, amigos e aliados de longa data”, disse.

O Departamento do Comércio norte-americano suspendeu a isenção dos direitos de importação de aço e alumínio da União Europeia, Canadá e México, numa decisão que dispara as tensões comerciais e provocará represálias dos parceiros.

“Decidimos não estender a exceção para a União Europeia, Canadá e Médico, pelo que estarão sujeitos a tarifas de 25% e 10%” na importação de aço e alumínio”, respetivamente, indicou Wilbur Ross, antes de terminar o prazo para a tomada de uma decisão sobre o assunto.

Estados Unidos anunciam que tarifas à União Europeia entram em vigor amanhã

Ler mais
Relacionadas

Estados Unidos anunciam que tarifas à União Europeia entram em vigor amanhã

A taxa de 25% sobre as importações de aço e a de 10% sobre as de alumínio à União Europeia, Canadá e México entrarão em vigor à meia-noite, segundo o secretário do Comércio norte-americano, Wilbur Ross.

Donald Trump prepara-se para anunciar tarifas sobre importações de aço e alumínio à UE

A imprensa norte-americana indica que Trump irá a avançar com tarifas aduaneiras contra a UE. O tema foi abordado no encontro entre Angela Merkel e António Costa, esta quinta-feira, em Lisboa.
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários