Vai ser preciso fabricar 37.400 novos aviões nos próximos 20 anos, estima Airbus

A construtora de aeronaves europeia considera que estes novos aviões deverão custar quase cinco mil milhões de euros e implicar uma necessidade de 540 mil pilotos novos.

A construtora aeronáutica europeia considera que nos próximos 20 anos a procura mundial irá exigir a construção de 37.400 aviões novos.

De acordo com a mais recente edição do seu ‘Global Market Forecast 2018-2037’, a frota de aviões de passageiros mais do que duplicará nos próximos 20 anos, para cerca de 48 mil aviões, com o tráfego aéreo a crescer a um ritmo consistente de 4,4% ao ano.

Este crescimento significa a necessidade de cerca de 37.400 novos aviões de passageiros e de carga, conclui o referido estudo da Airbus.

“Os fatores de crescimento que impulsionarão este crescimento incluem o aumento do consumo privado nas economias emergentes, para mais do dobro, mais rendimento disponível e a quase duplicação das classes médias a nível global. Os países emergentes representarão mais de 60% do crescimento económico, com o número de viagens ‘per capita’ a multiplicar 2,5 vezes mais para estes países. Combinada com a evolução dos modelos de negócios das companhias aéreas e a contínua liberalização, a escala de crescimento do transporte aéreo levará a um aumento da resistência em relação aos abrandamentos regionais”, destaca um comunicado da Airbus.

No entender de Eric Shulz, diretor comercial da Airbus, “há uma tendência crescente para a utilização de aviões num vasto leque de operações, com os aviões existentes atualmente a ultrapassar os limites entre os segmentos de mercado”.

“Estas realidades levaram-nos a desenvolver uma nova segmentação com as categorias de ‘Small’, ‘Medium’, ‘Large’ e ‘Extra Large’, que refletem melhor o modo como as companhias operam os aviões”, afirmou Eric Shulz, Diretor Comercial da Airbus.

“Graças à versatilidade dos nossos modelos, o topo de gama dos nossos aviões de corredor único, o A321neo, voa eficientemente em rotas de longo curso, e os nossos ‘wide bodies’, como o A330neo, servem igualmente operações regionais. Estamos muito fortes neste segmento de mercado ‘Medium’”, garante este resp’onsável

Segundo o referido comunicado, “olhando mais de perto para os quatro segmentos, no segmento ‘Small’ a Airbus prevê uma necessidade futura por 28.550 novos aviões, o que representa mais de três quartos da procura total prevista”.

“No segmento ‘Medium’, representado por ‘wide bodies’ pequenos e aviões de corredor único de longo alcance, a Airbus prevê uma procura por 5.840 aviões de passageiros e de carga”, adianta o comunicado da Airbus, acrescentando que, “no segmento ‘Large’, as previsões são de 1.760 novos aviões’, enquanto ‘no segmento ‘Extra Large’, a Airbus prevê uma procura por 1.590 aviões nos próximos 20 anos”.

“Dos cerca de 37.400 novos aviões necessários, 26.540 deles são para crescimento e 10.850 serão para substituir aviões mais antigos e menos eficientes. O aumento da frota mundial para cerca de 48.000 aviões resultará numa necessidade para 540.000 novos pilotos”, conclui o comunicado da Airbus.

Ler mais
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários