Vamos combater o CIAS

O Comércio Ilegal de Animais Selvagens continua a ser uma atividade criminosa grave que exige uma acção urgente e concertada da comunidade internacional.

O Príncipe William, Duque de Cambridge, descreveu o Comércio Ilegal de Animais Selvagens (CIAS) como “uma das formas de corrupção e criminalidade mais insidiosas no mundo de hoje”. Actualmente é o 4º crime transnacional mais lucrativo, movimentando cerca de 19 mil milhões de euros por ano. Propicia a corrupção, enfraquece as instituições estatais e os governos, e destrói os ecossistemas de que dependemos para viver. A caça furtiva de elefantes e rinocerontes em África, ou a matança de tubarões para comercializar as suas barbatanas, são apenas alguns exemplos. O Reino Unido tem-se destacado nos esforços internacionais para combater o CIAS, tendo organizado em 2014 em Londres uma conferência inovadora, e estando a preparar uma nova conferência global em 2018. No ano de 2016, em Hanói, anunciámos um investimento adicional de 13 milhões de libras (cerca de 14,7 milhões de euros) para combater o CIAS, duplicando o nosso investimento.

A 25 de Maio esteve em Lisboa a Dra. Jane Goodall – famosa primatologista, etóloga, antropóloga britânica e Mensageira da Paz da ONU. Aos 83 anos continua a ser uma inspiração para todos nós e a sua visita foi uma oportunidade para dar a conhecer melhor os esforços do RU no combate ao CIAS. O seu trabalho nas florestas da Tanzânia não só nos ensinou muito sobre os chimpanzés, mas também pôs em causa convicções antigas sobre a humanidade, demonstrando que aqueles conseguem fazer e usar utensílios, e mostrar emoções “humanas” como a empatia. Através do Instituto Jane Goodall e do seu programa Roots and Shoots – que o Instituto Britânico vai promover em Portugal –, tem tido um impacto nas vidas de muita gente e tem atraído muitos jovens para questões relacionadas com o planeta. E com o projecto “Jane’s Traffic Stop tem procurado encorajar decisores políticos a combater este crime, além de mostrar-se optimista quanto a países que tradicionalmente consomem produtos de espécies ameaçadas, e que estão a começar a reconhecer o problema e a fazer mudanças positivas.

Sabemos que muitas pessoas em Portugal, incluindo o Governo, partilham da nossa preocupação. Várias espécies de animais selvagens continuam a ser anunciadas e vendidas através da internet, e as associações de protecção da natureza e dos animais têm trabalhado activamente na sensibilização para este problema. Já houve uma petição pública debatida no Parlamento, e a GNR participou recentemente numa operação coordenada pela Interpol, que resultou na apreensão em Portugal de uma fêmea chimpanzé, 63 aves, 12 cobras e 4 suricatas.  Muito já foi alcançado, mas há muito mais a fazer. O CIAS continua a ser uma actividade criminosa grave que exige uma acção urgente e concertada da comunidade internacional. Jane Goodall disse uma vez: “We are part of and not separated from the amazing animals with whom we share the planet”. Não poderia concordar mais. Continuemos nossos esforços para os  proteger.

A autora escreve segundo a antiga ortografia.

 

Recomendadas

teste

O Lorem Ipsum é um texto modelo da indústria tipográfica e de impressão. O Lorem Ipsum tem vindo a ser o texto padrão usado por estas indústrias desde o ano de 1500, quando uma misturou os caracteres de um texto para criar um espécime de livro. Este texto não só sobreviveu 5 séculos, mas também o salto para a tipografia electrónica, mantendo-se essencialmente inalterada. Foi popularizada nos anos 60 com a disponibilização das folhas de Letraset, que continham passagens com Lorem Ipsum, e mais recentemente com os programas de publicação como o Aldus PageMaker que incluem versões do Lorem Ipsum.

RIO é Mau, Vote no RIO!

O que ninguém imaginava, nem os mais descrentes,  é que o consulado -Rio seria “isto”. Uma guerra civil permanente, com o grupo parlamentar, com as concelhias, mas também com os “seus”, a própria direção e secretariado-geral, com inúmeras demissões e afastamentos.
Comentários