Vendas no comércio a retalho caíram 3,7% em fevereiro

Os dados revelados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que a queda foi determinada pelo abrandamento das vendas de produtos não-alimentares, que compensou a aceleração das vendas de bens alimentares.

O volume de negócios no comércio a retalho registou em fevereiro uma desaceleração de 3,7%, em comparação com o ano anterior. Os dados revelados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que a queda foi determinada pelo abrandamento das vendas de produtos não-alimentares, que compensou a aceleração das vendas de bens alimentares.

Os dados mostram que, em comparação com o mês de janeiro, o setor retalhista registou uma variação de menos 1,8 pontos percentuais no volume de vendas. Em relação às vendas de produtos não-alimentares registou-se um decréscimo de 7,4% em janeiro para 3,8% em fevereiro (menos 3,6 pontos percentuais). Por outro lado, registou-se um aumento de 0,4 pontos percentuais nas vendas de comida.

Em termos gerais, as vendas no comércio a retalho diminuíram 1,1% em fevereiro face ao mês anterior. Já o índice de emprego no setor caiu 0,2 pontos percentuais, ao mesmo tempo que as remunerações diminuíram 3,1%.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários