Wall Street abre em alta com tecnologia e setor financeiro a recuperarem

Apesar da recuperação no final da semana, Wall Street caminha para perdas recorde esta semana, devido aos receios em relação a uma guerra comercial e incerteza política nos EUA.

Brendan McDermid / Reuters

As principais bolsas norte-americanas abriram esta sexta-feira com ganhos, com a tecnologia e o setor financeiro a serem abrangidos pelo sentimento positivo que já tinha chegado esta quinta-feira à indústria. Apesar da recuperação no final da semana, Wall Street caminha para perdas recorde esta semana, devido aos receios em relação a uma guerra comercial e incerteza política nos EUA.

O índice industrial Dow Jones avança 0,38% para 24.968,86 pontos, com a American Express a ganhar 1,41%. O financeiro S&P 500 sobe 0,46% para 2.760,04 pontos, numa altura em que as ações do JPMorgan valorizam 1,05% e as do Bank of America 1,09%. O índice tecnológico Nasdaq avança 0,30% para 7.504,19 pontos.

No mercado cambial, a moeda norte-americana valoriza pela terceira sessão consecutiva contra o euro, 0,15% para 1,228 dólares. Os juros das Treasuries a 10 anos avançam 2,2 pontos base para 2,85%, invertendo a tendência dos últimos dias.

Esta semana, os mercados norte-americanos têm sido penalizados pelo despedimento do secretário de Estado Rex Tillerson e, mais tarde, de H.R. McMaster. No entanto, o vice-presidente de trading e derivados da Charles Schwab, Randy Frederick, disse à agência Reuters que “a contínua incerteza sobre tarifas está a pesar mais que qualquer outra coisa”.

Relacionadas

Bolsa cai com perdas do BCP e Sonae. Europa “aguarda resultados”

O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, recua ligeiramente 0,45%, para 5.416,32 pontos, numa altura em que as praças europeias seguem em alta. “Esta é uma sessão corretiva”, considerou um trader da Carregosa ao Jornal Económico.

Dow Jones fecha no verde pela primeira vez em quatro sessões

Apesar dos ganhos do índice industrial, o fecho em Wall Street foi misto. O S&P 500 e o Nasdaq deslizaram 0,08% e 0,2%, respetivamente.

Europa e EUA vão reunir com aço e alumínio na agenda

Comissária europeia do Comércio e o seu homólogo norte-americano conversaram sobre as tarifas e decidiram reunir-se “na próxima semana” para discutir o assunto, explicou a fonte, sem dar detalhes sobre a data ou o local do encontro.

Crise na Venezuela pode (sem intenção) equilibrar o mercado petrolífero

“Entre os países da OPEP, o maior fator de risco é, e provavelmente continuará a ser, a Venezuela”, indicou um relatório da Agência Internacional de Energia. Devido à crise económica, as estimativas apontam para uma redução ainda maior da capacidade de produção do país.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários