Wall Street abre em queda em dia após encontro entre Trump e Putin

Destaque para as perdas da Netflix (-11,05%), depois de a plataforma digital de conteúdos ter registado um modesto crescimento no número de subscritores no segundo trimestre do ano, ficando muito aquém das expectativas dos analistas.

O Dow Jones cai 0,28% para 24.994,9 pontos; o S&P 500 desce 0,33% para 2.789,2 na abertura e o Nasdaq desliza 0,44% para 7.771,7 pontos nos primeiros minutos de negociação na NYSE.

A marcar esta abertura em Wall Street estão as perdas da Netflix (-11,05%), depois de a plataforma digital de conteúdos ter registado um modesto crescimento no número de subscritores no segundo trimestre do ano, ficando muito aquém das expectativas dos analistas.

A marcar o dia nos EUA está também a notícia que o banco de investimento Goldman Sachs nomeou hoje David Solomon, 56 anos, para o cargo de presidente executivo, substituindo Lloyd Blankfein, 63 anos, que dirigiu a instituição financeira norte-americana durante 12 anos.

David Solomon vai assumir funções no dia 01 de outubro e o seu antecessor deixará a empresa no fim do ano, informou o banco.

A bolsa está a reagir em baixa ao encontro do presidente dos EUA, Donald Trump, com o seu homólogo russo Vladimir Putin, em Helsínquia, Finlândia.

O entendimento entre os dois líderes foi ofuscado pelas declarações de Trump na conferência de imprensa. “Em vez de deixar claro que a interferência russa nas nossas eleições é inaceitável, Trump aceitou as negações de Putin e colocou em dúvida as conclusões dos nossos serviços de inteligência. Isto não é normal”, dizem os críticos da oposição.

Mas o presidente da Câmara dos Deputados dos EUA. Paul Ryan, considerado um dos principais aliados de Trump, também não escondeu a insatisfação com a atuação do presidente dos EUA. “Não há equivalência moral entre os Estados Unidos e a Rússia, que permanece hostil aos nossos valores e ideais mais básicos. Os Estados Unidos devem se concentrar em responsabilizar a Rússia e pôr fim a seus ataques vis à democracia”, disse o republicano, num comunicado, citado pela Reuters. Ryan considera que Trump tem de “reconhecer que a Rússia não é aliada” dos EUA. Isto apesar do presidente norte-americano culpar as antigas administrações pela má relação entre os EUA e Kremlin.

“Trump pareceu alinhar-se com o Kremlin contra a lei americana diante do presidente russo com uma audiência global”, lê-se no editorial do The Washington Post. O encontro com líder russo foi criticado pela imprensa liberal, mas também por conservadores, como a Fox News, que apesar de tudo diz que Trump não quis estragar a relação que desenvolveu com Putin.

Noutros mercados o petróleo WTI cai 1,22% nos EUA para 67,23 dólares e o Brent em Londres desliza 1,18% para 71,71 dólares.

 

 

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários