Wall Street fecha em alta com bons dados económicos

Os dados conjunturais positivos nos Estados Unidos ajudaram a sessão. As ações fecharam em alta, assim como o dólar e o petróleo.

Reuters

A bolsa dos Estados Unidos fechou, na última sessão da semana santa, e que coincide com a última sessão do primeiro trimestre, em alta. O Dow Jones subiu 1,07% para 24.103,1 pontos; o S&P 500 escalou 1,38% para 2.641 pontos e o Nasdaq pulou 1,64% para 7.063,45 pontos.

Mas no acumulado do ano o Dow perde 2,14%, o S&P caiu no trimestre 1,04% e o Nasdaq sobe 2,51%.

Hoje o presidente dos EUA voltou a atacar, via Twitter, a Amazon, a quem acusa de provocar o encerramento de milhares de cadeias de retalho. A Amazon é alvo de rumores sobre o desejo do presidente Trump de apertar o seu quadro fiscal ou iniciar investigações para evitar sua posição dominante nos negócios de comércio eletrónico.  “A Amazon paga poucos impostos e usa o serviço postal em seu benefício, causando uma séria perda para o país”, disse Trump. Mas as ações da empresa subiram hoje 1,11%, depois de terem caído fortemente em sessões anteriores.

A subida de Wall Street hoje está ancorada aos recentes dados económicos. Hoje, o Departamento do Trabalho norte-americano indicou que os pedidos de subsídio de desemprego registaram uma descida de 12 mil na semana passada e ficaram em 215 mil, o nível mais baixo desde 1973.

Os dados conjunturais positivos nos Estados Unidos continuaram hoje a penalizar o euro face ao dólar, numa altura em que a diminuição da tensão internacional também favoreceu a moeda norte-americana.

O euro negociava a 1,2296 euros, quando na quarta-feira quase à mesma hora seguia a 1,2343 dólares.

Desde terça-feira, quando atingiu 1,2449 dólares, o euro tem vindo a perder valor, com o dólar a subir, reforçado pelos dados relativos à economia norte-americana.

Na quarta-feira, foi anunciada uma revisão em alta do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nos Estados Unidos no último trimestre de 2017, de 2,5% para 2,9%.

O petróleo nos Estados Unidos sobe 0,84% para 64,92 dólares, e o Brent, referência na Europa, ganha 1,06% para 70,27 dólares.

 

Ler mais

Relacionadas

Skripal: Rússia anuncia expulsão de 60 diplomatas norte-americanos

O ministro dos Negócios Estrangeiros russos, Serguei Lavrov, precisou que as medidas são similares às adotadas na segunda-feira por Washington, que expulsou 60 diplomatas russos.

Desemprego nos Estados Unidos cai para mínimos de 45 anos

Esta quinta-feira foram conhecidos nos EUA dados do desemprego, consumo e inflação. Todos eles indicam que a economia norte-americana mantém a robustez.

Wall Street negoceia em ligeira alta na última sessão de um trimestre atribulado

As energéticas estão a dar suporte ao Dow Jones e ao S&P, mas novas críticas de Donald Trump à Amazon estão a penalizar a retalhista online e a contagiar os títulos das tecnológicas.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários