Wall Street treme com queda de 6% do petróleo e regresso da guerra comercial

De destacar ainda a cimeira da NATO, onde o presidente norte-americano criticou a Alemanha por causa do investimento no projeto do gasoduto Nord Stream II, cuja construção está prevista para arrancar ainda em julho. O industrial Dow Jones cai 0,88%, para 24.700,45 pontos. O barril de brent está a valer 74 dólares.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque encerrou a sessão desta quarta-feira, dia 11 de julho, a negociar em terreno negativo. Entre os três principais índices bolsistas norte-americanos, o industrial Dow Jones perdeu 0,88%, para 24.700,45 pontos, e, na mesma linha, o financeiro S&P 500 recuou 0,33%, para 2.774,22 pontos. Também o tecnológico Nasdaq desvalorizou 0,55%, para 7.716,61 pontos, enquanto o Russell 2000 acompanhou este pessimismo e perdeu 0,76%, para 1.683,36 pontos.

Na sessão de hoje, foi o petróleo e a política que mais impactaram pela negativa os mercados financeiros norte-americanos. O preço do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, tomba 6,16% para 74,00 dólares, enquanto o custo do crude WTI resvala 4,91%, para 70,47 dólares por barril.

O crude do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou a sessão no International Exchange Futures a cotar 5,43 dólares abaixo dos 78,83 com que fechou as transações na terça-feira. A descida acentuada da cotação do Brent foi atribuída pelos analistas ao receio entre os investidores de que as crescentes tensões comerciais entre os Estados Unidos da América (EUA) e a China prejudiquem o crescimento económico internacional, afetando a procura de petróleo.

De destacar ainda a cimeira da NATO, onde o presidente norte-americano criticou a Alemanha por causa do investimento no projeto do gasoduto Nord Stream II, cuja construção está prevista para arrancar ainda em julho.

No que diz respeito às empresas, os investidores estiveram de olhos postos na Apple, após vir a público que a ‘gigante da maçã’ teria violado as regras anti-concorrenciais ao exigir que as operadoras telecom japonesas vendam iPhones com desconto e cobrem mensalidades mais elevadas. A cotada fechou 1,30%, para 187,88 dólares.

Também a 21st Century Fox sobressaiu na imprensa internacional na sequência de ter apresentado uma proposta de 14 libras por ação para comprar a posição não detida na Sky, avaliando-a em 24,5 mil milhões de libras. Trata-se de uma oferta 12% acima da indicada pela Comcast. A empresa de Murdoch não encantou no Nasdaq: caiu 3,93%, para 47,40 dólares.

Quanto ao mercado cambial, o euro continua a perder face ao dólar (-0,60%, para 1,1677 dólares) e a libra também deprecia (0,55%, para 1,3203 dólares).

Notícia atualizada às 21h27

Ler mais

Relacionadas

Euro desce e fica abaixo de 1,17 dólares

O presidente norte-americano, Donald Trump, assegurou hoje manter “uma excelente relação” com Angela Merkel, após um encontro bilateral com a chanceler alemã à margem da cimeira da NATO, em Bruxelas.

CTT e Mota-Engil pressionam PSI 20 a fechar no ‘vermelho’

A bolsa de Lisboa perdeu 0,44%, para 5.636,79 pontos. Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium Investment Banking, sublinha a “essão negativa para os índices europeus”, que é transversal a todos os setores de atividade. “A ‘guerra comercial’ voltou a ser tema para os mercados depois de Trump anunciar novas tarifas à importação de produtos chineses”, afirma.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários